SESSÃO DE ORAIS


Concordância entre Emissões Otoacústicas e Potencial Evocado de Tronco Encefálico (Automático) em Neonatos
Autor(es): Bruna Carla Cibin, Renata Mota Mamede Carvallo, Seisse Gabriela Sanches, Tathiany Pichelli


INTRODUÇÃO: O desenvolvimento da audição segue etapas importantes. Com o objetivo de fornecer à criança oportunidades apropriadas o Joint Committee on Infant Hearing 2007, ressalta que todas devem passar pela Triagem Auditiva Neonatal antes de completar 1 mês de vida risco e um protocolo completo de avaliação incluiria EOAET e PEATE, sendo que o primeiro avalia a função coclear - periférica - e o segundo a função neural da audição - central. Dados da literatura mundial referem que, em programas de Triagem Auditva Neonatal, os recém-nascidos que mais apresentaram falha foram os Pequenos para a Idade Gestacional (PIG) associados, ou não, a outros fatores de risco. Comparadas com crianças nascidas Adequadas para a Idade Gestacional (AIG), as crianças PIG tem uma desvantagem no desenvolvimento neuropsicomotor e linguagem, entre outras. OBJETIVO: Verificar a concordância entre EOAET e PEATE automáticos em recém-nascidos com o fator de risco PIG e sem fatores de risco para perda auditiva. MÉTODO: O estudo foi realizado no Alojamento conjunto Berçário e da Maternidade do Hospital Universitário da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fizeram parte deste estudo 31 neonatos de ambos os sexos. participantes foram divididos em dois grupos: Grupo I: Neonatos sem fator de risco para perda auditiva e adequados para a idade gestacional. Grupo II: Neonatos que apresentem o fator de risco - criança pequena para a idade gestacional. Os critérios de exclusão foram: Grupo I: Neonatos não adequados para a idade gestacional. Grupo II: Neonatos com demais fatores de risco para perda auditiva. O equipamento utilizado foi EOAET/ EOAPD e PEATE-A analisador, Accuscreen Pro, produzido por Fischer-Zoth (Alemanha), distribuído por GN-Otometrics. O recém-nascido foi avaliado após 24 horas de vida e o mais próximo possível de sua alta. O protocolo seguido foi a combinação dos testes EOAET (avaliação coclear) seguido do PEATE-A (avaliação retrococlear). A avaliação foi realizada com o recém -nascido deitado no berço em uma posição confortável, em estado de sono. RESULTADOS: Os dados coletados foram submetidos à análise estatística no software SPSS versão 18. Foram realizadas análises descritivas, para comparar o peso do neonato e a idade gestacional entre os grupos utilizamos o teste não paramétrico de Mann-Whitney. É possível notar que o peso médio do Grupo I (Média 3380,33) é maior que o do Grupo II (Média 2579,69) (U=3,00, Z=-4,265, p<0,001), porém, a idade gestacional (Grupo I: Média 273/ Grupo II: Média 277,63) não difere entre os grupos (U=97,00, Z=-0,919, p=0,358). Foi possível observar que os sujeitos de ambos os grupos tiveram o mesmo desempenho nos dois testes, sendo que apenas um neonato do Grupo II (6,3%) falhou para ambos na orelha esquerda. O teste exato de Fisher indica que há associação significante entre o desempenho nas EOAET e no PEATE (p=0,016). CONCLUSÃO: Neste estudo verificou-se que houve total associação entre os testes EOAET e PEATE automáticos.


Dados de publicação
Página(s) : p.155

ISSN : 1983-179X