Posters
 
Avaliação / Reabilitação Vestibular
 
P2903 - ESTIMULAÇÃO PARADOXAL DA PROVA QUENTE E O TEMPO DE ESTIMULAÇÃO NECESSÁRIO PARA A REINVERSÃO DO NISTAGMO
Apresentador : Pollyne Martins Moraes
Autor(es) / Coautor(es) : Moraes, P.M; Nishino, L.K, Granato, L.


Introdução: A estimulação a ar na presença de perfuração da membrana timpânica é fator de confusão, pois pode resultar em nistagmo com resposta calórica contrária à esperada, ou seja mimetiza o nistagmo invertido, uma alteração central. Não é possível, além da história clínica, descartar esse fenômeno por meio da manobra V de Brunning, confundindo deste modo o examinador mais desavisado.Objetivo: O objetivo deste estudo foi verificar se o aumento do tempo da estimulação quente pode reverter a estimulação paradoxal da prova calórica quente.Metodologia: A amostra foi constituída por 12 indivíduos sem queixas vestibulares, que apresentaram estimulação paradoxal na prova calórica quente do lado da perfuração da membrana timpânica, 75,0% do gênero feminino e 25,0% do gênero masculino, na faixa etária de 21 a 77 anos (45,17+15,48 anos), 10 com perfuração da membrana timpânica unilateral e 02 com perfuração da membrana timpânica bilateral. Foram excluídos da amostra os indivíduos com nistagmo espontâneo de olhos fechados e/ou nistagmo pré-calórico. A bateria de testes à qual foram submetidos constou de: calibração dos movimentos oculares, pesquisa do nistagmo espontâneo com olhos abertos e com olhos fechados, pesquisa do nistagmo pré e pós calórico com ar a 42°C e 18°C.Resultados: Das 14 orelhas com respostas invertidas na prova calórica quente, a reinversão da direção do nistagmo ocorreu em 09 das 14 das orelhas estudadas (64,3%), e o tempo médio para a reinversão do nistagmo foi de 05 minutos e 28 segundos.Conclusão: O presente estudo permitiu concluir que o aumento do tempo de estimulação calórica com ar quente nas membranas timpânicas perfuradas pode ser uma opção para diagnóstico diferencial de alteração vestibular central nas orelhas com membranas timpânicas perfuradas, porém não ocorre tão facilmente em todas as inversões, sendo necessário um olhar mais atento do avaliador para não efetuar diagnósticos errôneos, quando o paciente apresentar alteração da orelha média, pois a estimulação paradoxal da prova calórica quente é um fenômeno muito mais comum que as suas reinversões.


Dados de publicação
Página(s) : p.2903
URL (endereço digital) : http://www.audiologiabrasil.org.br/eiamaceio2011/anais_select.php?eia=&pg=poster&cid=2903
ISSN : 1983-179X