SESSÃO DE PÔSTERES


AUDBILITY: RESULTADOS PRELIMINARES DE UM PROGRAMA DE TRIAGEM DAS HABILIDADES AUDITIVAS EM ESCOLARES ENTRE 7 E 8 ANOS
Autor(es): Carvalho, N.G.; Amaral, M.I.R.; Colella- Santos, M.F.


Introdução: A detecção e intervenção precoce de escolares com alterações auditivas periféricas e/ou centrais podem contribuir para a minimização dos prejuízos da criança no contexto acadêmico e social. O desafio na triagem do processamento auditivo central (PAC) está no protocolo a ser utilizado, uma vez que não há um procedimento padrão-ouro. Objetivo: Comparar os resultados preliminares de uma bateria online de triagem do PAC, denominada audBility, aplicada em crianças com e sem dificuldades escolares entre 7 e 8 anos. Método: Estudo transversal, comparativo e descritivo, aprovado pelo Comitê de Ética sob protocolo nº 2.294.609, conduzido em parceria com uma escola estadual. Após consentimento dos pais, 77 escolares foram triados,em sala silenciosa, por meio da meatoscopia, imitanciometria e aplicação do audBility. O audBility apresenta tempo médio de aplicação de 30 minutos, de forma interativa, lúdica e possibilita armazenamento automático de dados, foi aplicado em desktop, fone com cancelamento de ruído e mixador de volume fixado em 50%. A bateria é composta por questionário de autopercepção adaptado do “Scale of Auditory Behaviors”- SAB e tarefas que avaliam a Localização Sonora (LS), Fechamento auditivo (FA), Integração Binaural (IB), Figura-Fundo (FF), Resolução (RT) e Ordenação temporal (OT) de frequência (OT-F) e duração (OT-D).Após a triagem, os professores responderam a um questionário sobre o rendimento escolar de cada aluno, que possibilitou a divisão dos dados em dois grupos: Grupo1 (G1)- 42 crianças com bom desempenho escolar (média de idade de 8,4 anos, 23 meninas); Grupo2 (G2)- 35 crianças com dificuldades escolares (média de idade de 8,2 anos, 15 meninas). Em ambos os grupos os critérios de inclusão foram crianças falantes nativas do português do Brasil e que compreenderam as instruções para a realização das tarefas.Foi realizada análise descritiva (média e desvio padrão) dos dados e comparação entre orelha e grupos (Mann Whitney test). Resultados: O G1 apresentou melhor desempenho no escore final do questionário (p-valor = 0,0007) em comparação com o G2 (46,26+6,55 e 40,66+8,10, respectivamente). Da mesma forma, houve melhor desempenho do G1 (p<0,05) em comparação com o G2 nas tarefas auditivas de FA (9,69+0,71 e 9,08+1,06) , IB na orelha esquerda (18,29+1,41 e 16,29+2,06), FF na orelha esquerda (4,35+0,72 e 3,91+0,91), OT-F (4,40+0,82 e 3,59+1,91) e OT-D (2,14+1,40 e 1,52+1,25), respectivamente. Nas tarefas de IB e FF houve diferença no desempenho das orelhas intragrupos (p<0,05). O desenvolvimento do audBility é um avanço na audiologia e triagem escolar. A ferramenta demonstrou viabilidade para aplicação nesta faixa etária e tempo viável de aplicação em ambiente escolar. Conclusão: Os resultados preliminares demonstram diferença no desempenho entre os grupos, com pior desempenho em crianças com dificuldades escolares, exceto nas habilidades de localização sonora e resolução temporal. A validação do audBility está sendo realizada com o aumento da amostra e comparação com a bateria diagnóstica.


Dados de publicação
Página(s) : p.4703
ISSN 1983-179X
http://www.audiologiabrasil.org.br/eia/anais-34eia/trabalhos_select.php?id_artigo=4703&tt=SESSÃO DE PÔSTERES