Posters
 
Diagnóstico em Audiologia
 
P2724 - CARACTERÍSTICAS DA SURDEZ SÚBITA NA POPULAÇÃO ATENDIDA NO AMBULATÓRIO DE AUDIOLOGIA DA ISCMSP
Apresentador : FERNANADA YAMAMURA OSHIRO
Autor(es) / Coautor(es) : OSHIRO, F.Y.; LIMA, R.M.; SILVA, S.M.; QUITSCHAL, R.M.; NISHINO, L.K.; REDONDO, M.C.


Introdução: A surdez súbita (SS) é conceituada como uma deficiência auditiva de instalação repentina ou no decorrer de minutos, horas ou poucos dias, de início abrupto ou rapidamente progressivo, de caráter sensorioneural, de 30 dB ou mais, em pelo menos três frequências adjacentes. Saber a incidência da SS é algo considerado difícil devido ao fato de vários casos recuperarem espontaneamente a audição antes que se procure assistência médica. Outros pacientes podem ficar com pequenas perdas auditivas e conviverem com elas durante a vida toda. Objetivo: Caracterizar o perfil audiológico dos pacientes com SS atendidos no período de Janeiro de 2009 a Outubro de 2010 no ambulatório de Audiologia da ISCMSP. Metodologia: Estudo de caráter retrospectivo e descritivo, desenvolvido no setor de Audiologia Clínica do Departamento de Otorrinolaringologia da ISCMSP. Foram levantados os prontuários e audiometrias de pacientes com queixa de SS. Considerou-se critério de inclusão perda auditiva sensorioneural de origem súbita ou rapidamente progressiva e foram excluídos pacientes com perda auditiva condutiva ou mista. Foram analisados lado acometido, grau da perda auditiva, configuração audiométrica, limiar de reconhecimento de fala, índice de reconhecimento de fala, reflexo estapediano e presença de recrutamento de Metz. Resultados: De Janeiro de 2009 a Outubro de 2010 foram realizados 6202 atendimentos no Ambulatório de Audiologia da ISCMSP, destes, 281 pacientes apresentaram queixa de SS (4,53%). Foram excluídos 74 pacientes por apresentarem audiometria normal e 19 por não apresentarem perda auditiva em três frequências adjacentes. A amostra foi constituída por 188 pacientes, 53,72% do gênero feminino e 46,27% do g ênero masculino, com média de idade de 49,32 anos (DP: 15,18); houve prevalência da faixa etária de 40 a 59 anos. Quanto ao lado acometido, 40,42% apresentaram SS do lado direito, 48,92% do lado esquerdo e 10,63% bilateral, totalizando 208 orelhas acometidas. A maior parte das orelhas (19,23%) apresentou perda auditiva de grau moderadamente-severo; 42,30% apresentaram configuração descendente e 27,88% horizontal. O valor médio da média tritonal de todos os pacientes foi 55,66 dB (DP: 30,02) e 23,55% dos pacientes apresentaram recrutamento. Quanto aos testes de fala, 78,36% dos pacientes apresentaram compatibilidade entre o índice de reconhecimento de fala e a audiometria tonal e 21,63% mostraram-se incompatíveis. A maior parte das SS bilaterais (65%) não apresentou diferença de grau e configuração entre as orelhas. Conclusão: Não houve diferença entre os gêneros, a maior prevalência de perda auditiva foi de grau moderadamente-severo e configuração descendente. O valor médio da média tritonal de todos os pacientes também apresentou grau moderadamente-severo. A maior parte dos pacientes não apresentou recrutamento de Metz. Houve compatibilidade dos testes de fala com a audiometria tonal na maior parte das orelhas acometidas. A maioria das SS bilaterais apresentou semelhança do perfil audiométrico entre as orelhas.

.


Dados de publicação
Página(s) : p.2724
URL (endereço digital) : http://www.audiologiabrasil.org.br/eiamaceio2011/anais_select.php?eia=&pg=poster&cid=2724
ISSN : 1983-179X